A história do Adilson Guimarães

ADILSON GUIMARÃES

Nasci em 1938, sempre fui vidrado em aviões,era garoto com 10/11 anos não sabia que existia Aeromodelismo.
Um dia cismei de fazer um aviãozinho. comecei cortando varetas de bambu e cola de madeira, já tinha a fuselagem quase feita quando um amigo me disse: olha tem um cara que faz esses aviões aqui na rua e aí conheci o José Mateus,amigo até hoje que me levou na 1ª loja do Morimoto (Grande incentivador do aeromodelismo no Rio) a Hobbylandia , era na rua Visconde do Rio Branco 52 no centro do Rio. (todos pensam que foi no tabuleiro da baiana,ali foi a 2ª loja)
Quando vi a loja pensei estou feito, tem tudo, varetas, cola, papel japonês, dope, elásticos, e etc,isto mais ou menos em 1950, comecei a construir o José me ensinando, um dia ele disse: qualquer hora vamos ver um clube de aeromodelismo foi aí que conheci a ACA, era em Manguinhos no Aero Clube do Brasil.
Em 1951 entrei para sócio, comecei a ver aviões de acrobacia , vôo livre, planadores e corrida (Team Racing) e me entusiasmei, eu levava uma vantagem porque eu era ourives, tinha ferramentas de precisão e muita habilidade manual para envenenar motores de corrida, e construir aviões.
O tempo passou e entrei de cabeça em motores formei uma equipe de corridas chamada Tornado,ainda tenho minha 1ª medalha (1954) como mecânico,o tempo foi passando e entrei em outras modalidades,mas eu só gostava de u-control, mas também fiz vôo livre, acrobacia , velocidade AMA , naquela época não se fazia FAI no Rio .
Também em 1954 fomos (ACA) fazer demonstrações de aeromodelismo no Centro Tecnológico de Aeronáutica em São José dos Campos, ali eu vi funcionando o1º pulso jato, um motor fantástico era um motor de testes do CTA.
Em 1957 comecei c/ Dynajet (pulso jato) avançamos bastante nos motores com relação as palhetas e fazendo câmaras com tubos de aço inox sem costura , usava-mos tambores de ar para partida ,com140 libras de pressão,também em 1957 fomos p/ o Uruguai uma equipe de 4 aeromodelistas do Rio e 3 de São Paulo, um era o Matheus do Rio e o outro era o Cavalli dono da Mobral onde em 9 dias fizemos 13 demonstrações Por todo o Uruguai.
Essa historia de ir ao Uruguai foi uma luta porque comecei pedindo autorização ao sargento do meu quartel e fui parar no Quartel General quem autorizou minha ida foi o Ministro da Guerra Gal.  Lott consegui minha permissão num sábado e embarquei no dia seguinte, na época 10 horas de viagem num DC-4 até o aeroporto de Carrasco.
Também competi pelo Botafogo em Team Racing onde tiramos o 3º lugar no campeonato mundial de corridas em conjunto ( mil voltas) o campeão foi o Maeda ;
Veja Adilson Guimarães em sites de aeromodelismo.no Google.
Em torno de 1960 fizemos por dois ou três anos o campeonato Rio São Paulo de corridas em conjunto eram colegas da UPA e ACA/BOTAFOGO no Ibirapuera e na ACA em Manguinhos uma vez saímos do Rio meia noite para competir as 8,00 em Sampa .
Também não posso deixar de agradecer à minha mulher e meus filhos que sempre me incentivaram no Hobby.
Mais ou menos em 63/64 foram inauguradas as pistas do aterro.
Antes da inauguração ainda com o terreno só planado o Celso Viana presidente da ACA chegou no Botafogo e eu estava treinando e ele me pediu para experimentarmos o terreno no aterro levei um Barnstormer c/ fox 35 ele deu três voltas e me entregou a manete ele foi o 1º a voar no aterro e eu o 2º mas ele faleceu e eu sou hoje o primeiro a voar nas pistas de vcc do aterro onde hoje está o clube 3A.
Tempos depois voávamos (éramos sete ou oito amigos com seus aviões só jatos) aos domingos no aterro com Dynajets até 10/11 horas da noite,um dia o Morimoto na Hobbylandia me perguntou , Adilson vocês não podem voar até só até as 10,00 da noite ?
Eu perguntei porque,ele disse,  é porque eu preciso dormir e vocês tiram meu sono com o barulho dos jatos , ele morava em Santa Tereza e não dormia c/ o barulho rsrsrs,
independente do barulho o motor deixava uma língua de fogo de quase 1 metro só vista à noite,  passamos a parar mais cedo.
Teve um dia que voamos cinco jatos de uma vez,era uma corrida de cem voltas sem valer nada e com um barulho ensurdecedor, nesta brincadeira eu já voava com uma asa voadora que fiz com 1,70 cm de envergadura (foto abaixo)com Dynajet e que também fazia loopings, a gente sabia que o motor parava porque perdia velocidade e abaixava rápido para passar o avião que vinha atrás,adrenalina pura, rsrsrs.
Não posso esquecer um grande amigo também dos jatos Floriano Brinetti (na foto da asa era um cobra em pulso jato) por volta de 1971 me afastei um pouco e fui voar de Girocóptero rebocado também com o Floriano na Camboinhas (Niterói) aprendi a voar fácil porque sabia voar de paulistinha (PP-RIV) em Manguinhos ,voltei em 1985 já nos Afonsos, aí entrei no sistema de RC onde estou até hoje.
Mas fiz quase todas as modalidades, ainda tenho aviões daquela época e que ainda podem voar.
Hoje gosto muito de motoplanadores elétricos de 2 metros , mas piloto quase tudo, faz parte do meu temperamento ,construir, competir e pilotar,  pena que a muito tempo não temos competições, o tempo passa as coisas evoluem e eu ando junto,principalmente depois do progresso dos elétricos,que também faço,é mais limpo, silencioso, hoje temos materiais e equipamentos modernos que facilitam bastante o esporte , neste resumido depoimento omiti uma grande quantidade de historias e nomes de amigos com quem convivi (o) na ACA .
Sou socio remido nº 12. E o mais antigo em atividade
Considerando o tempo pode haver pequenas diferenças de datas.
As meninas da foto da asa são filhas do Celio viana sócio nº 1 da ACA

Adilson Guimarães ACA

R12

Associação Carioca de Aeromodelismo