Os motores Pulso Jato – DYNAJET-

Edição 3- 02/03/2011
Autor:  Adilson Guimarães

São conhecidos, por nós (Brasileiros),como DYNAJET.
Estes motores eram ou são fabricados por uma firma chamada Automotive Devices Inc. nos Estados Unidos. Eram vendidos na época porUS$35,00 (1957). Hoje custam, em média, US $250,00. Muitos têm curiosidade de saber como são, como funcionam e etc.  Basicamente são constituídos de duas partes: O TUBO (câmara de explosão e descarga) e o CABEÇOTE.

       O tubo do original é estampado em duas metades de aço inoxidável, que são soldadas para formá-lo; em uma ponta é feita a rosca para fixá-lo ao cabeçote, tendo também um furo onde a vela é fixada (SPARK PLUG) através de um porca.Quero lembrar que existe o mesmo motor nacional que funciona muito bem e é igual ou superior ao original.  O sistema do tubo é mais bem feito e prático pois a parte da descarga é feita de tubo inoxidável sem costura e a câmara é de inox repuxado, levando solda (ponteada) apenas na junção entre a câmara e o tubo (que vem à ser a descarga).

        O cabeçote original é de alumínio com rosca para fixar na câmara usando um anel rosqueado como fixador, a parte lateral tem aletas de refrigeração.  Na parte de trás do cabeçote temos uma PALHETA de aço, de espessura igual ao de lamina de barbear, com 10 PÉTALAS, cada uma dessas “pétalas” fecha um furo por onde a gasolina pulverizada entra.  Existe também um disco com formato de prato que é um limitador da abertura das pétalas da palheta. Na frente do cabeçote temos o FLOWJECTOR que pulveriza a gasolina para a câmara.O cabeçote nacional tem a grande vantagem de permitir a troca de cada pétala Individualmente, enquanto no importado a palheta tem que ser totalmente substituída caso uma pétala se queime.

        A partida é dada com o auxílio de uma bomba de encher pneus; atualmente usamos tambores com ar comprimido que facilitam bastante.A ignição é feita com um aparelho formado por uma bateria de 12 volts, um circuito oscilador com platinado e uma bobina para produzir até 22 mil volts e gerar fortes centelhas. O ar e o aparelho para ignição são usados apenas na partida.

      Esses Pulso Jatos são muito usados em U/C, com cabos trançados .021 e 70 pés. Já existem colegas que usam estes motores com aeromodelos controlados à radio, mas a velocidade exige boa experiência de comandos.Produzem um barulho e temperatura altíssimos quando em funcionamento (+/-900 graus), por isso atraem a atenção de qualquer um ao redor, o que as vezes, pode ser perigoso. Não tem peças moveis à não ser as pétalas da palheta que trabalham vibrando.Não tem variação de potência, é tudo ou nada. Existem vários tipos marcas e tamanhos fabricados no mundo, incluindo também formulas de combustível. Como funcionam: ligada a ignição, injeta-se ar sob pressão no Flowjector que funciona como um carburador, pulverizando a gasolina que é conduzida para as aberturas cobertas pelas pétalas. O gás (mistura ar /gasolina) ao ser admitido na câmara explode expandindo-se e fazendo com que as pétalas se fechem e abram aleatoriamente, aspirando mais gás, detonando-o num ciclo contínuo.

       É importante que na alimentação não ocorram bolhas de ar, pois que havendo, o motor pára por não haver continuidade de centelha e é necessário pousar para dar nova partida. Para quem começa é interessante contar com a ajuda de quem tenha bons conhecimentos deste tipo de motor , pois dicas são sempre úteis.

        Devemos lembrar que este tipo de motor nada mais é que a bomba V-1 desenvolvida pelos alemães na Segunda Guerra Mundial, fabricado em tamanho reduzido em outros países (com algumas modificações) para aeromodelismo.


adilson

 

Associação Carioca de Aeromodelismo